"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 20 de maio de 2017

Os energúmenos e a importância terapêutica dos palavrões...



"Porque, por mais que se faça e que se diga, ainda temos com o selvagem muito mais semelhanças do que diferenças..."
Sir James Frazer

O prefeito Dória, de São Paulo, um dos improváveis candidatos à Presidência desta pobre república diz ter ficado escandalizado e horrorizado com os palavrões usados por Aécio Neves, um senador de seu partido, nas gravações que os tiras fizeram clandestinamente dele. Tentei saber quais palavrões o ilustre senador havia usado nos diálogos com seus comparsas, mas foi impossível, pois a mídia, seus coroinhas, freiras, juristas e pastores haviam, em nome da "moralidade", da repressão e da "pureza de espírito", suprimido tudo. Pela quantidade de reticências dava para deduzir: merda, cu, bosta, caralho, porra, pica, escroto e outros que até as crianças de 2 anos já gritam por aí sem medo de abalarem os pilares da Opus Dei e de irem para o inferno. Enfim, para quem, além de comer pizza e de vasculhar a Bíblia e a Constituição, costuma ler alguma coisa, o moralismo do ilustre prefeito é muito mais brochante e cretino do que "las malas palabras" do ilustre senador. 
E por falar em "malas palabras", vale a pena ler o livro do psicanalista argentino, Ariel C. Arango, exatamente com este título e que foi traduzido no Brasil pela Editora Brasiliense como: Os palavrões. Nele, Arango indica o papel saudável e as virtudes terapêuticas dos palavrões e da obscenidade. Aliás, o próprio Lula, só sobreviveu até hoje porque sempre soube, com seu linguajar, apontar ao populacho e a seus eleitores a sua índole animalesca. E isto já lembrava Freud no prólogo que fez para o livro de um de seus seguidores: "Sem dúvida, o homem se sente envergonhado com tudo o que possa lembrar-lhe muito claramente sua índole animal..."
 Cito abaixo alguns pontos do livro de Arango. 
Entretanto, quem nasceu e cresceu lá no sul, no meio daquela italianada imigrante e de seus "porco dios"; "sacramentos"; "porca hóstia" e "porca madona"... nem precisa perder tempo com isso.

" Com quanta razão já se disse que a última coisa que o habitante do fundo do mar descobriria seria a água". p.12

"Da teta à pica; este é seu típico itinerário sentimental. A vida amorosa da mulher é mais complexa que a do homem. Só depois de ter gozado uma precoce intimidade homossexual com a mãe é que vai descobrir o pai..."p.35

"Todo escatológico é tabu. Por isso as palavras que mencionam coisas excrementícias têm que ser pronunciadas em surdina. Em tons abafados, quase indefinidos. As sonoridades claras, nítidas, fortemente descritivas que os "palavrões" suscitam são totalmente banidas. Na realidade os seres humanos civilizados formamos uma hipócrita confraria que faz de conta que os homens e mulheres que dela fazem parte não têm cu, não soltam peidos, ignoram o que é a merda ou a bosta e, é claro, nunca cagam..."p.41

"A igreja católica percebeu, justamente, esta sensação inversa entre a merda e a grandeza e desde o século X instituiu como parte do cerimonial no dia da consagração de um Papa a cadeira estercoral... p.43

"Os excrementos das grandes personalidades religiosas também foram alimentos muito apreciados. Noutros tempos comer a merda do Grande Lama do Tibet era uma consagrada forma de veneração... "p.48

"Por essa razão, o falar insosso e povoado de diminutivos (pipi, pintinho, tetinha, perereca, piriquita, bumbum, siririca e etc) que caracteriza muitos adultos (neuróticos) é sinal certo de submissão sexual... (...) Aliás "o cu, sem dúvida, sempre foi a linguagem da submissão..."p.55, 71

"A castração e a circuncisão são meras variações de um mesmo tema..."p. 78

___________________________________
Observação: Tendo em vista as fantasias e os desejos que a Janaína provoca, não farei nenhuma ironia com as manifestações carolas e beatas que ela tem expressado.





5 comentários:

  1. Bazzo, corri comprar o livro no único sebo da vila, muito obrigado. encontrei num determinada página......., "O homem sadio e robusto prefere a tradicional mas irresistível simplicidade da buceta. Ela é para ele o verdadeiro paraíso. E desfrutar dela constitui uma experiência de amor e não de crueldade". Valeu.

    ResponderExcluir
  2. https://www.youtube.com/watch?v=Y5kaknqe1D4

    ResponderExcluir
  3. https://www.youtube.com/watch?v=mzuWVuhlZrA

    ResponderExcluir
  4. http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/uma-vez-confirmada-edicao-da-gravacao-janot-e-fachin-impichados/

    ResponderExcluir
  5. http://veja.abril.com.br/politica/peritos-apontam-cortes-em-gravacao-de-temer-feita-por-joesley/

    ResponderExcluir