"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 5 de maio de 2017

O prefeito de São Paulo, o morador de rua e a psicopatologia da vida cotidiana...

"Entre tanta mentira e tanta fraude é reconfortante contemplar os mendigos. Eles, pelo menos, não mentem e nem se enganam. Sua doutrina se é que têm alguma a encarnam eles mesmos (...) A preguiça faz deles autênticos liberados perdidos em um mundo de palhaços e de otários. Sobre a renúncia, sabem muito mais que muitos de nossos padres, pastores e professores, sem contudo, terem lido nenhuma obra esotérica..."
E.M.Cioram








Todo mundo viu estas imagens do policial lá em São Paulo (um senhor já entrando na andropausa) agredindo gratuitamente a um morador de rua. 
Como compensação e demagogia, o prefeito da cidade, a quem o policial é subordinado, presenteou o morador de rua agredido  sabem com o quê? Com um emprego. 
Moral da história: o cara que passou a vida inteira investindo na sua marginalidade para não fazer parte desse circo brutal e esquizóide que é a sociedade, agora, além de apanhar da polícia ainda vai ter que acordar cedo, submeter-se a uns chefezinhos de merda, trabalhar, pagar impostos e fazer parte do cadastro da cidadania... Bah! Que fria! E que circo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário