"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Ratos & baratas... Ou os reis da miséria...

Se enganam aqueles que pensam que Brasília é um ninho apenas de ratos. Nestas duas semanas ficou demonstrado que o é também de baratas. 
Primeiro foi a denúncia dos médicos e paramédicos do maior hospital da cidade, de que o mesmo estava infestado por esses nojentos insetos... E hoje foi a vez dos passageiros dos ônibus fotografarem e enviarem para o mundo inteiro imagens de dezenas dessas bichanas balançando tranquilamente as antenas e subindo pelas pernas dos passageiros em praticamente todas as linhas dos coletivos...
É indiscutível que a podridão e a decadência de nossas cidades se agrava e de que não há solução a vista... Enfim, que, como diz Celine no princípio de seu livro Viagem ao fundo da noite: "somos os reis da miséria!".

sábado, 19 de setembro de 2015

Notícias da crise 1 - ou o assalto republicano...

Por todos os lados, não se fala em outra coisa além da crise sócio econômica que já saltou para dentro dos muros da cidade. 
Resmungando, a classe média, deixa de beber espumantes e de beliscar bacalhau e os mais fodidos, a plebe rude, com as tripas em ebulição, aos poucos abandona os restaurantes populares de 1 real por cabeça e até mesmo o zoológico (essa penitenciária de animais) cuja visita, de dois reais passará a custar 10.  Ninguém duvida que será um alívio para os tigres e para as hienas... 
E não adianta espernear e nem evocar ao Senhor! 
Sempre se soube que o buraco é mais embaixo e que, como diria O. Mirbeau: Os cordeiros vão ao matadouro, nada dizem e nada esperam. Mas ao menos eles não votam no açougueiro que os matará e no burguês que os comerá. Mais besta que as bestas, o eleitor elege seu açougueiro e escolhe seu burguês. Aliás, as revoluções, até agora, foram feitas quase que unicamente pela conquista desse ignóbil direito... 
Quando é que esse bando de panacas entrará verdadeiramente em greve!?





sexta-feira, 18 de setembro de 2015

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

ECCE BESTIA - Tratado de zoofilia e de outras transações descaradas entre humanos e bichos...





O texto que mais mencionavam como descabido e que os havia ofendido era o que eu havia escrito na quarta capa do referido "tratado", que é assim: [Tenho certeza que este assunto não lhe é estranho, leitor! Mas não fique na defensiva, pois ele não diz respeito apenas a você, ao Brasil, à Patagônia, à Bolívia, ao Afeganistão e a outras regiões supostamente atrasadas do mundo. Textos tanto antigos como modernos mencionam a prática e o vício da zoofilia e do bestialismo por todos os lados do planeta, inclusive em lugares chiques, impensáveis e fora de suspeitas. Escribas religiosos relatam histórias de sacerdotes sabichões que treinavam diversas espécies no interior de templos para transar em público com mulheres, para sodomizar homens e para serem por eles sodomizados. Sim, por mais bizarro e miserável que pareça, o costume de relacionar-se sexualmente com animais existe desde sempre e tanto abaixo como acima do Equador. Dizem que as cabras são preferidas na Andaluzia, na Sicília, na África e no nordeste brasileiro. Que o pessoal da Europa Central prefere os jumentos enquanto que o do norte dá prioridade às renas. Já, no sul do Brasil, as éguas e as vacas são frequentemente objetos sexuais de muita gente, apesar das porcas e das ovelhas não ficarem para trás. Os cães, as galinhas e os macacos, curiosamente, fazem sucesso em qualquer lugar do planeta. A literatura está impregnada de histórias desse gênero. Em: O teatro dos vícios - por exemplo - Emanuel Araujo menciona algumas confissões de bestialismo, uma durante a primeira visita do Santo Ofício ao Brasil e outras por volta de 1791. Na primeira, um tal de Heitor Gonçalves teve de explicar-se aos inquisidores por haver dormido carnalmente com ovelhas, burras, vacas e éguas. Nas outras, um escravo foi surpreendido tendo intimidades com uma jumenta e outro, amancebado com uma porca...]

"A Dinamarca aprovou uma lei nesta terça-feira que veda toda forma de bestialismo. A medida foi tomada após ativistas protestarem contra brechas na legislação que estariam incentivando certo turismo sexual com animais. Até agora, o código penal dinamarquês só previa punições para atos sexuais que ferissem os animais.
A mudança na lei foi encampada há alguns meses pelo ministro da Agricultura e Alimentação, Dan Jorgensen, seguindo o exemplo de outros países do norte da Europa, como Alemanha, Suécia e Noruega, que também proibiram a prática recentemente. "Decidimos proibir o bestialismo por vários motivos. O principal é que, na maioria dos casos, trata-se de uma agressão ao animal. E, em qualquer caso de dúvida, os animais devem ser protegidos", declarou o ministro.



Os políticos que votaram a favor do projeto de lei disseram que a Dinamarca não queria ser o último país do norte da Europa onde o bestialismo fosse permitido. "Há relatos frequentes de shows de sexo com animais organizados em clubes e bordéis na Dinamarca", afirmou o Conselho de Ética para Animais, em um relatório. Brasil - O Brasil não tem uma legislação específica contra o bestialismo. Atos dessa natureza podem ser enquadrados como maus tratos aos animais, cuja pena varia de três meses a um ano de prisão, mais multa. Um projeto de lei de autoria do deputado Ricardo Izar (PSD-SP), que estipula a criminalização da prática, está parado na Câmara". (Ver revista VEJA, - da redação)


domingo, 13 de setembro de 2015

Um novo tipo de idiotas no mercado...

Hoje quase fui atropelado nos arredores do Museu da República por um desses idiotas pós-modernos que ficam o dia inteiro por aí fazendo barulho sobre seus skates ou sobre seus patins... E não são pré adolescentes como se costuma pensar. O idiota a que me refiro - por exemplo - tinha uns 45 anos... mas havia por lá até pessoas com a barba branca que lhes chegava aos joelhos e que podiam muito bem serem primos ou irmãos de Matusalém.
Insisto: não há duvidas de que algo não deu certo na criação deste eloquente manicômio. 
Que houve uma falha e um erro tanto planetário como no DNA desta pobre espécie ninguém mais duvida.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

A [vergonha], numa canção navajo e as fronteiras da solidão (imagens)...

"Fico envergonhado diante da terra;
Fico envergonhado diante do paraíso;
Fico envergonhado diante do amanhecer;
Fico envergonhado diante do crepúsculo; 
Fico envergonhado diante do céu azul;
Fico envergonhado diante da escuridão;
Fico envergonhado diante do sol;
Algumas dessas coisas estão sempre me olhando. 
Eu nunca fico longe de seus olhos..." (Canção navajo)












quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Paraolimpíadas ou paralimpíadas?

Nesta última semana fiz uma viagem pelo livro de Claudio Moreno:  O PRAZER DAS PALAVRAS/ L&PM Editores. Uma relíquia para quem quer ter idéia da língua portuguesa e das aberrações que normalmente cometemos ao usá-la. Uma das palavras tratadas por Claudio Moreno e que a mídia faz uso recorrente de forma errada é a palavra Paraolimpíadas. Observem como, de todas as idades e pedigrees, os repórteres dizem: Paralimpiadas... 
Leiam este fragmento do texto, escaneado do referido livro e depois prestem atenção no noticiário sobre as iminentes Paraolimpíadas.






terça-feira, 8 de setembro de 2015

As especialidades médicas 2, por José Perez

 O dentista


 O alergista


 O anestesista


 O dermatologista


 O obstetra


 O ortopedista


O radiologista


 O pediatra


 O farmacêutico


 O otorrinolaringologista


 O sanitarista


O cirurgião

domingo, 6 de setembro de 2015

O desvario de um mundo crápula e simplório...

Nesta semana a mídia turbinou seu "ibope" com três matérias que mobilizaram o moralismo, a burrice e a hipocrisia nacional.

1. As imagens de uma penitenciária feminina de SP, onde as presas aparecem fazendo uma festa de arromba regada a cachaça, maconha e cocaína. 
Que escândalo murmuram todos os farsantes! Sem se lembrarem que nos finais de semana há festas idênticas ou semelhantes por aí nas mansões, nos "lares" e até nas quermesses e que os protagonistas principais são seus familiares, amantes ou amigos... geralmente gestores oficiais do Estado, da Família e da Propriedade...

2. A divulgação dos salários dos funcionários da Câmara Legislativa do DF. 
O rebanho hipócrita fingiu ficar boquiaberto com sete ou oito funcionários que recebem salários estratosféricos, mas não deu a mínima importância à imensa maioria que ganha salários miseráveis...

3. O escândalo e a comparação entre os gastos mensais de gasolina dos deputados federais do DF. 
Seriam suficientes para dar várias voltas ao redor do mundo - diz a matéria. Evidentemente, com uns deputados gastando bem mais que os outros. Ninguém se perguntou se os que gastaram menos de um tanque o fizeram por ética ou porque passaram os trinta dias dormindo...

Enfim: Está mais do que evidente que o Estado (esse mal sem solução) primeiro empurra o sujeito para a delinquência e depois o ridiculariza e o prende...

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Damasco: a cidade mais antiga e mais fascinante da terra...

















"Silêncio lunar sob o sol: Efígies grosseiras de gesso em círculos no deserto lembrarão às espécies futuras o que foi a raça humana..."   Jean P. Sartre




O espetáculo macabro dos imigrantes que se repete todos os dias lá no Mediterrâneo, entre a Síria, o Magreb e a Europa é a fina flôr ou, como diriam os mais "afrescalhados" a "flor do Lácio" do mau caráter de nossa espécie. Espécie que leva em seu DNA uma hiena e uma maldição incondicional para a qual não há meditação, nem remédio, macumba ou rezadeira que possa servir como alivio.  Além disso, o mais lamentável, (vagabunda, fotográfica e antropologicamente falando) é que Damasco (sua capital destroçada e transformada num cemitério), é literalmente, a cidade mais antiga e mais fascinante da terra!