"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 29 de março de 2013

A "paixão" de Cristo e o sadomasoquismo universal...

Sempre que chega o final do mês de março, as agências de turismo, os padres, as trupes de teatro e os comerciantes em geral se preparam para turbinar os negócios à sombra da mise-en-scène de um dos mais conhecidos rituais de tortura e assassinatos da história. Mise-en-scène para a qual a mídia sempre reserva três ou quatro páginas, mesmo que seja lá entre as propagandas de sex-shop ou de pneus, para também ganhar uns trocados a mais sobre essas procissões mórbidas que cruzam em lágrimas e meditabundas o planeta... Só aqui no DF tivemos hoje, apesar da chuva, três ou quatro Vias-Sacras... se por folclore, para captar grana do estado, por distúrbio de caráter ou por fé, dá no mesmo... Alguns jornais publicam até o roteiro e a sequencia das 15 estações, as mesmas desde o século XVI. Por quê não agregar alguma coisa nova? Pelo menos um texto menos submisso e menos subserviente? E depois, quem assiste a uma delas, no meio do turbilhão incontido das massas, nem precisa ser especialista em comportamento humano para perceber que a multidão desvairada e mesmo os atores, se identificam muito mais com Pilatos, o soldadinho romano, do que com Jesus, o judeu renegado...

Esta vez fui assistir à encenação no Morro da Capelinha ao lado do mendigo K. O Cristo deste ano é o mesmo dos anos anteriores, apesar de - segundo dizem - ter tido problemas graves com a justiça (coincidentemente, como o homenageado!?). A cada uma das estações que chegávamos, praguejando e patinando no barro, o mendigo K., anotava alguma coisa em sua minúscula agenda... De forma indiscreta pude ler alguns desses rabiscos, aparentemente sem sentido: chafariz de descaramento! Democracia roída pelo ratos e fustigada pelos chacais! Czar das consciências!

Com muito esforço e meio empurrados pela multidão íamos avançando morro acima, no meio de gritos, de estalos de chicotes, de odores os mais diversos... Numa das paradas o mendigo K., me perguntou, quase no ouvido: sabia que quase tudo do catolicismo foi plagiado de religiões e de seitas antigas? É mesmo? - Retruquei. Dê um exemplo. Um exemplo?, foi logo despachando: A abstinência de carne nestes dias, por exemplo, é plágio do Yon-kipur dos judeus. A água benta, já era empregada pelos hindus bem antes de Cristo. A água e o vinho era usada nos rituais de Osíris, o deus do sol. A expressão Aleluia é plágio da palavra hebraica. A hóstia já era usada nos antigos rituais pagãos a Mitra. A frase que está em São João, Amai-vos uns aos outros, atribuída a Cristo, já havia sido ensinada por Confúcio centenas de anos antes. Os andores são originários dos rituais da Índia. A ideia de anjos já era comum entre os israelitas. A ascensão, já fazia parte do folclore na aldeia de Phu-Dong muito tempo antes do catolicismo. Inclusive Thot (um deus egípcio), segundo a lenda, também ascendeu aos céus, muito antes de Cristo. A aureola ao redor da cabeça dos santos já se encontrava ao redor da cabeça de divindades mitológicas gregas. O batismo já era praticado na antiga Índia. A expressão bem-aventurados já estava lá nos escritos judaicos há séculos. A blasfêmia já era considerada um ato irreparável na antiga lei mosaica. O uso do cálice já era comum em muitos outros rituais de ação de graças. O cenobitismo já existia entre os budistas. O céu, vários céus sobrepostos, já era uma crença dos antigos hebreus. A ideia da Concepção virginal foi plagiada de crenças chinesas. A virgem Ching-Mu concebeu Fo-Hi lá pelo ano 3.300 a.C, depois de comer uma flor de lótus que encontrou sobre seu vestido, no lugar onde se banhava. A confissão, foi copiada do costume judeu de ir choramingar no muro das lamentações. A crisma, é um plágio do Bar Mitsvah, dos judeus primitivos. A própria crucificação é um plágio. Nas lendas das religiões pré-cristãs existe pelo menos 16 deuses que foram sacrificados na cruz para salvar os homens... A cruz já era usada desde a remota antiguidade, eram dois pedaços de pau cruzados em homenagem ao deus do fogo. Antes do crucifixo, os cristãos usavam o cordeiro dos adoradores de Mitra. A palavra diabo foi pirateada do grego, inclusive a figura de Pã em forma de bode, com chifres e rabo etc. O dízimo foi instituído malandramente ainda pelos judeus. O escapulário foi uma imitação dos antigos acumuladores psíquicos dos ocultistas. O Espírito Santo já fazia parte da doutrina de Zoroastro na Pérsia antiga e de outras crenças chinesas. A Eucaristia, era uma palavra aplicada a vários festins da China, do Egito e etc., etc., etc...

Ufa!! Parou de dissertar quando já estávamos praticamente no topo e nas últimas estações. Depois das quedas; dos chicotaços; depois de Verônica enxugar-lhe a fronte; de Cireneu ajudá-lo a carregar a cruz; daquela mãe que, vendo a desgraça do filho, não teve instinto materno suficiente para saltar sobre os soldados; depois de Cristo consolar um grupo de fofoqueiras de Jerusalém ... e quando quase já estava sendo crucificado, baixado da cruz e enterrado, com todas as pompas e lágrimas de um Superstar, o mendigo K., saturado de tanto sadomasoquismo, com expressão de cansaço e de desolação, convidou-me a descer o morro antes da turba e assegurou, mais para si mesmo do que para alguém, com veemência: prefiro as tragédias de Eurípedes. Agora, a respeito deste caso, minha opinião é de que todos os envolvidos foram passivos e cúmplices!, inclusive a mãe!

terça-feira, 26 de março de 2013

E já que qualquer um se acha no direito de falar em ética e em humanismo, vamos às imagens....

sábado, 23 de março de 2013

quinta-feira, 21 de março de 2013

Do estômago e da alma... (2)

Quem viu os prédios que estão sendo construídos lá no RJ para abrigar os desabrigados, ficou horrorizado. Bem piores que os pavilhões da penitenciária de Bangu 2... Mil vezes morar dependurado num barranco e correr o risco de anualmente esquiar pela lama! Ali, pelo menos, há oxigênio, luz, vento, cheiro de terra... a possibilidade de um sabiá pousar na soleira do cortiço... Naquelas construções tétricas e no geral de nossa arquitetura tropical, tudo evidencia que somos um povo que tem algum trauma sério com claridade e com janelas. Vejam a obra do Niemayer! Tudo meio uterino, sufocante e sombrio. Na própria catedral de Brasília, nem os beatos mais franciscanos e os mais masoquistas conseguem ficar mais de meia hora quando o sol está a pino. Lá pelas três da tarde, então, não tem cristão que fique lá dentro sem desmaiar... E a nova Torre Digital? Aquela que custou cento e tantos milhões, mas que poderia ter sido construída com menos de quinze, ou nem ser construída? Mesmo no primeiro dia do outono, parecia uma suíte do inferno... A viúva de J. Lenon faz demagogia com os óculos ensanguentados do defunto... A Ucrânia não quer mais comer nossos porcos... O MEC jura que vai deixar de ser benevolente com os redatores do Enem... Ainda não descobriram que se o “segundo grau” fosse realmente um Segundo Grau, nem o Enem e nem a indústria vil dos cursinhos teriam sentido... O CFM decidiu que até antes da décima segunda semana de gravidez o aborto pode ser praticado sem que os envolvidos incorram em crime. Tem gente que ficou com os cabelos em pé, pois considera um desvario, não só o aborto, mas até mesmo a masturbação masculina... Afinal – argumentam - os espermatozoides também têm vida! Novamente uma encrenca entre uma pseudociência e um falso humanismo... E por falar em masturbação, a guerra e as vicissitudes entre gays e pastores continua no Congresso Nacional. Por enquanto é só moral e verbal, vitupérios, artimanhas melífluas por todos os lados, mas tudo indica que em breve será alhures, com porretes e com espadas. Imaginem os gays colocando numa calçada seus três milhões de militantes e, do outro lado, os pastores também mobilizando seus milhões de adeptos! De um lado a multidão bradando e rugindo com a Bíblia nas mãos, do outro, o pessoal seminu esbravejando e agitando no ar a última edição de 120 dias de Sodoma! Quem não gostaria de filmar e documentar essa epopéia? Depois de recolhidos os cadáveres e esconjurados os sobreviventes, por falta de um nome melhor, os historiadores a registrariam como a Revolta da desventura ou a Escaramuça da fobia contra a paranoia e vice-versa... Para em seguida cair no olvido e ficar esquecida nos nossos fajutos registros como ficou a dos Farrapos, a de Canudos, dos Emboadas, dos Mascates...

terça-feira, 19 de março de 2013

Do estômago e da alma...

-->
Toda vez que abro a página deste blog e ela me indaga: e aí, que merda vais produzir hoje!?, fico imaginando como deve ser a vida de um jornalista: meses, anos, décadas, até séculos escrevendo as mesmas e inúteis "notícias", cobrindo o sete de setembro; as eleições; as partidas de futebol; os assassinatos; as roubalheiras; as missas do galo... Quê paciência de Jó e que tédio! Show do Caetano! Show do Roberto Carlos! Num final de semana desses, Milton Nascimento cantará (outra vez): amigo é coisa pra se guardar no lado esquerdo do peito! Bah! Ou então: a bolsa cai 1,48%! O dólar subiu 0,59%! A popularidade da presidente ainda é a mesma! Combater a pobreza! Desconto na compra de carros! Um novo remédio para o câncer! Curaram um diabético! Está chegando a Páscoa! Novamente? Chocolate e sexo fazem bem para a pele! Uffa! Índice de criminalidade sobe no DF, de janeiro para cá foram 184 assassinatos! Greve dos professores! A esperança está na Copa do Mundo! Somos um povo feliz! A malandrinha cobrará 700 mil por um show de duas horas! O populacho saracoteia e não está nem aí! Chaves não será mais embalsamado, foi só emoção de seu substituto! E o argentino reza a primeira missa! Siglo XXI cambalacho! Un mundo borracho de aleivosias!!! Os governantes do planeta aproveitaram a festa para ir à Roma levar umas maletas de Euros e comer uma lasanha... Roma e aquele mar de bananas e de desenganados! A briga pelos royalties! Cada ministro tem seu compromisso mais com os padrinhos e menos com a verdade. Verdade? Quê verdade? Computadores para todo mundo! Apesar dos desmoronamentos, somos felizes! Quê povo feliz! Enriquecemos no último século. Lembram como éramos magros e desnutridos na época do Jânio Quadros? Ou de Don João VI? Como classe média, agora podemos brincar a vontade com nossos celulares... cada minuto de verborreia é uma moeda caindo nos cofres da Espanha. Tim...Oi... Vivo... Claro... GVT... Tim... Oi, GVT, Claro, Vivo... É preciso ser otimista! As coisas vão melhorar, aliás, já estão melhorando... Nas redações do ENEM alguém escreveu razoável com “s”... Escândalo!? Já escrevi coisas muito piores!!! E daí? Cada idiota tem agora seu dicionário e um google só para si. Também um carro. Que não haja mais espaço para movimentar-se, bom, isso é outra questão... Toneladas de peixes podres para a semana santa! Ora, como a semana é santa, pode-se comer qualquer coisa, até as mais insalubres... Mataram e queimaram parcialmente um anônimo no Campus da universidade. Moradores de rua e drogados já se tornaram álibis da polícia! Os restos do corpo estavam sobre pneus. Ninguém se abalou! Ninguém se abala! Nosso genocídio é só nosso... Viva o estômago e a alma!

sexta-feira, 15 de março de 2013

Lástima grande que no sea verdad tanto cinismo...

Publicaram a lista dos setenta escritores brasileiros que irão participar, em Frankfurt, da Feira do Livro. Não, não estou exagerando, são setenta nomes mesmo. Setenta! Seriamos, misteriosamente, um dos países mais cultos e mais eruditos do planeta? Um reduto de genialidades das letras? Duvido que você, leitor, tenha condições de citar uma única frase de um desses vivaldinos e notórios personagens... Especialistas em tudo o que é  escorregadio, suas obras, até hoje, pelo que sei, não alteraram uma vírgula da podridão e do imaginário nacional... Mas estarão todos lá, com suas caras patibulares, numa espécie de capitólio tupiniquim, bebendo cerveja e comendo salsichões, com suas "obras" revolucionárias empilhadas nas estantes... e isto é o que verdadeiramente importa, não é verdade?
Não tenho ideia, mas a China deve enviar cinco ou seis, os EEUU, uns quatro, a Argentina uns três, a Europa inteira, uns vinte ou trinta... A própria Alemanha, terra de Schopenhauer e de Nordau, não mais que uma meia dúzia... Nós, estamos enviando setenta.  Segundo o Diretor de plantão da FBN - quem está organizando essa ludibriação - o Brasil dispõe de uns 10 milhões de reais para essa farra... Dez milhões!, camaradas sem-teto e companheiros mendigos da América latina!!! Ah, como não lembrar das incursões megalomaníacas do Idi Amin Dada? 
Frankfurt! Não longe dali, Nietzsche passou bons anos de sua vida... Quê diria o velho filólogo de todo esse mercado de superficialidades? Dessa gente que passou a vida inteira construindo lendas e inverdades sobre si mesma e depois turvando as águas para dar ao tolos uma impressão de profundidade?

***

E o papa ítalo-argentino? Pelo que sei do resultado dessa fusão, a igreja católica nunca esteve tão perto de seu fim, como agora... Se o novo pontífice tiver uma atuação parecida com a do também ítalo-argentino José Gariga, não sobrará pedra sobre pedra do trono de Pedro. Oxalá!
José Gariga? Quem já teve noticias do projeto anarquista da Colônia Cecilia, no Paraná, deve lembrar-se desse personagem. Chegado de Buenos Aires todo simpático e todo instruído, depois de ter conquistado a confiança da comunidade, num determinado momento, após as principais colheitas, surrupiou todas as economias da colonada anarquista e desapareceu do mapa. E isto aconteceu lá por 1890... e até hoje não se teve notícias do "hermano"... 
E foi precisamente esse golpe de gatunagem e de traição que detonou a prostração moral da turma e o desmoronamento completo da idealizada e idílica Colônia... 

quarta-feira, 13 de março de 2013

E a fumaça preta!!??

Não, não dá para acreditar! Pense bem! Essa historinha da fumaça preta ou branca, não dá para acreditar! Não seria muito mais excitante se Pedro ou o próprio Espírito Santo em pessoa, aparecesse levitando sobre os velhos telhados para anunciar o vencedor? Que fiasco! E essa fumaceira, além de ser um descarado plágio dos Sioux, até uma criança de seis anos, segundo Piaget, acharia uma estultícia. Inclusive, porque tem muita gente temendo que ao invés de preta ou branca surja uma fumacinha cor de rosa! E não sei como os movimentos negros, os panteras negras pós-modernos ainda não acionaram suas incontáveis e sempre prontas Comissões dos direitos humanos acusando aquela cardealada de racista. Sim, porque a fumaça preta, nesse evento, ao contrário da branca, simboliza o impasse, a poluição, o vazio, a não concretização de nada, a ausência, a frustração, a indecisão dos sábios e poliglotas príncipes da igreja... Será que são ainda resquícios dos tempos em que a igreja jurava que os negros, os símios e a África inteira não tinham alma?... Mais ou menos como o deputado Feliciano que, respaldado pela Bíblia, assegura que os negros, desde o principio, foram amaldiçoados? Aliás, até hoje os mórmons e outros sujeitos do gênero, defendem a tese de que os negros são filhos de Cain... E daí? Para muita gente, inclusive para mim, Cain foi nosso primeiro herói, nosso primeiro homem de exceção, nosso titã e justiceiro pré-histórico, o mais macho dos homens e o primeiro sujeito a dizer audazmente um não, tanto a deus como a toda a imbecilidade que viria atormentar a humanidade pelos séculos afora...
E a chaminé continua lá, cuspindo fuligem sobre Roma... e a votação secreta também. Aqueles que sempre abominaram as "votações secretas" aqui no nosso Congresso Nacional, agora já sabem suas origens e de onde vieram suas sementes...
Um energúmeno da mídia acaba de anunciar que peregrinos dos quatro cantos da terra estão de olhos bem abertos na direção das chaminés do vaticano... Ora, se a terra é redonda como uma melancia, como poderia ter cantos? 
Aqui em Brasília, como também somos todos filhos de deus, estamos esperando que os deputados, os ministros e a Cúria Metropolitana decretem feriado e instalem um telão bem ali no meio da Esplanada, para que também nós possamos cravar os olhos na chaminé sagrada e dar, finalmente, um sentido à nossa vã existência... nem que seja um sentido fugaz e de boca aberta no meio das ziguezagueantes e agitadas emanações de um misero e fajuto ritual de fumaça...

segunda-feira, 11 de março de 2013

O ZELO DE TUA CASA ME CONSOME...

O circo, o teatro e as imoralidades secretas se aquecem no Vaticano. Dentro de algumas horas elegerão um novo representante de Deus na terra. O zum zum zum dos últimos dias sobre corrupção, veleidades e sacanagens no interior das alcovas e nos subterrâneos daquele estado não abalou a fé de católico nenhum. O autoengano e os mecanismos de defesa  com os quais os beatos são revestidos os faz invulneráveis. Ontem mesmo as igrejas estavam lotadas, ouvia-se da rua que cantavam hosanas com todas as forças, que soavam as campainhas, que pediam eufóricos a intercessão divina na escolha do novo chefe... 
Eu, que não tenho a mais mínima esperança de que esta espécie venha a curar-se e a liberar-se um dia dessas neuroses (pelo contrário), me divirto imaginando como seria se o velho cristo, aquele que segundo as lendas chicoteou os vendilhões do templo de Jerusalém, saltasse amanhã cedo com um porrete para dentro das muralhas do Vaticano. Ah, seria muito gozado vê-lo esmurrando as paredes da capela Sistina, esse engendro inspirado no Templo de Salomão, cheio de mistificações carimbadas por Michelangelo, Rafael, Botticelli e outros ragazzi de aluguel da época...! 
O mesmo cristo que tanto se escandalizou com os comerciantes de ovelhas, bois, pombas e cambistas no interior do templo judeu, naqueles tempos precários em que ainda se limpava o cu com pedaços de pedra, ... que susto deveria levar diante da luxúria dos aposentos romanóides, da artificialidade daqueles charlatães e do clima cainesco às vésperas do conclave, no meio daqueles cento e tantos candidatos a ocupar a cadeira de Pedro, uns com roupagens de pica-paus outros parecendo abutres andinos, todos com uma cruz no pescoço onde ele próprio, o cristo, está crucificado e sangrando... 
E quando soubesse da prostituição recém denunciada; dos protocolos secretos do Estado edificado em seu nome; do exército, igual ao de Herodes mantido dentro das muralhas; dos apóstolos banqueiros; da lavagem de dinheiro; dos acordos com Mussolini; do estupro de milhares de crianças pelo mundo a fora; dos apoios incondicionais a ditadores e a torturadores, principalmente na solidão da América Latina, quando soubesse de tudo isso, e mais, que os gerentes dessa indústria celestial ainda consideram as mulheres úteis apenas para lotar e fazer volume nas igrejas, mas indignas de ocupar cargos dentro da "maquinaria sagrada"... Ah!, quê reação teria ali em Roma, no meio de todo aquele luxo, esse singelo e mitológico essênio!? 
Provavelmente saisse clandestinamente daquele festim de hipocrisias e se refugiasse, cercado pelo ex-mordomo e por três ou quatro ciganos, numa das tantas bodegas dos arredores para, depois da terceira garrafa, lamentar-se como outrora: o zelo de tua casa me consome...
Lamento ao qual um dos ciganos replicaria com uma frase de Heine: Vocês ouvem a sineta? Ajoelhem-se! Estão levando os sacramentos a um deus agonizante!!!

O ZELO DE TUA CASA ME CONSOME...

O circo, o teatro e as imoralidades secretas se aquecem no Vaticano. Dentro de algumas horas elegerão um novo representante de Deus na terra. O zum zum zum dos últimos dias sobre corrupção, veleidades e sacanagens no interior das alcovas e nos subterrâneos daquele estado não abalou a fé de católico nenhum. O autoengano e os mecanismos de defesa  com os quais os beatos são revestidos os faz invulneráveis. Ontem mesmo as igrejas estavam lotadas, ouvia-se da rua que cantavam hosanas com todas as forças, que soavam as campainhas, que pediam eufóricos a intercessão divina na escolha do novo chefe... 
Eu, que não tenho a mais mínima esperança de que esta espécie venha a curar-se e a liberar-se um dia dessas neuroses (pelo contrário), me divirto imaginando como seria se o velho cristo, aquele que segundo as lendas chicoteou os vendilhões do templo de Jerusalém, saltasse amanhã cedo com um porrete para dentro das muralhas do Vaticano. Ah, seria muito gozado vê-lo esmurrando as paredes da capela Sistina, esse engendro inspirado no Templo de Salomão, cheio de mistificações carimbadas por Michelangelo, Rafael, Botticelli e outros ragazzi de aluguel da época...! 
O mesmo cristo que tanto se escandalizou com os comerciantes de ovelhas, bois, pombas e cambistas no interior do templo judeu, naqueles tempos precários em que ainda se limpava o cu com pedaços de pedra, ... que susto deveria levar diante da luxúria dos aposentos romanóides, da artificialidade daqueles charlatães e do clima cainesco às vésperas do conclave, no meio daqueles cento e tantos candidatos a ocupar a cadeira de Pedro, uns com roupagens de pica-paus outros parecendo abutres andinos, todos com uma cruz no pescoço onde ele próprio, o cristo, está crucificado e sangrando... 
E quando soubesse da prostituição recém denunciada; dos protocolos secretos do Estado edificado em seu nome; do exército, igual ao de Herodes mantido dentro das muralhas; dos apóstolos banqueiros; da lavagem de dinheiro; dos acordos com Mussolini; do estupro de milhares de crianças pelo mundo a fora; dos apoios incondicionais a ditadores e a torturadores, principalmente na solidão da América Latina, quando soubesse de tudo isso, e mais, que os gerentes dessa indústria celestial ainda consideram as mulheres úteis apenas para lotar e fazer volume nas igrejas, mas indignas de ocupar cargos dentro da "maquinaria sagrada"... Ah!, quê reação teria ali em Roma, no meio de todo aquele luxo, esse singelo e mitológico essênio!? 
Provavelmente saisse clandestinamente daquele festim de hipocrisias e se refugiasse, cercado pelo ex-mordomo e por três ou quatro ciganos, numa das tantas bodegas dos arredores para, depois da terceira garrafa, lamentar-se como outrora: o zelo de tua casa me consome...
Lamento ao qual um dos ciganos replicaria com uma frase de Heine: Vocês ouvem a sineta? Ajoelhem-se! Estão levando os sacramentos a um deus agonizante!!!

sexta-feira, 8 de março de 2013

Um Estado que tolera e que suporta isto, ao invés de democrático é vil e criminoso...

Dia internacional da mulher...

De vez em quando costumo passar numa lanchonete fuleira que funciona dentro de um mercado só para tomar um suco e comer um enrolado de tapioca com queijo, banana e canela. Hoje, lá pelas 18:00 horas, não sei por quê cargas d'água, o ambiente parecia um asilo ou uma enfermaria. Numa das cinco mesas estava uma senhora com mais de 70, praticamente entubada, os olhos fixos no teto, com dois moços, possivelmente seus filhos, que a alimentavam por um tubo... Na mesa dos fundos, numa cadeira de rodas, uma anciã, cuidada por mulheres jovens, parecia ter tido um derrame e permanecia com os olhos semiabertos, a boca torta e imóvel. Outra senhora, agora um pouco mais jovem e claramente afetada pelo Alzheimer ou por outra demência qualquer, ia e vinha sorridente, de uma mesa a outra, falando bobagens e sendo seguida de perto por seu marido, com quase oitenta que, apesar de enxergar mal, ia implorando desculpas aos que por ela eram abordados...
- Que horror resmungou a moça do lado! Logo hoje, no dia internacional da mulher! 
Quando percebeu que a mim também aquela cena não havia passado despercebida, foi impulsivamente divagando:
- Como perguntaria Calvino: será que essa longevidade só pode ser paga com a morte da alma?... Não, não quero ficar assim! Não quero chegar a isso! Por favor! Peço diariamente ao meu sistema nervoso central que me poupe, que não me deixe passar por isso!!!
Concluiu a frase visivelmente abalada e se retirou. Fiquei ali por mais uma meia hora, com minha tarde de sexta-feira praticamente arruinada, entregue a mil conjecturas e àquele espetáculo absurdo, covarde e estúpido da irreparável condição humana.  

-

quarta-feira, 6 de março de 2013

E os gafanhotos voltaram...


E os gafanhotos voltaram... agora, sobre o Egito e arredores! Aos milhões! Segundo um conhecido livro de fábulas, Deus já teria usado esses insetos outras vezes, inclusive, através de seu capanga Moisés, para sacanear os faraós egípcios e dar fôlego ao povo escolhido. Mas desta vez, é unanime a opinião, de que a bicharada, além de mais numerosa, está bem mais voraz... pois chegou até a transpor as fronteiras e as altas muralhas de Israel, todas protegidas por mísseis Tomahawk. O que aconteceu? Teria o demiurgo caducado ou simplesmente democratizado suas pragas? Oxalá não apareçam também as rãs, as moscas, os piolhos... e, o pior: as trevas.


O caso do goleiro Bruno continua infernizando a vida e enchendo o saco de todo mundo! É evidente que se tivéssemos o cérebro em dia já teria sido esclarecido e resolvido há muito tempo. Trinta dias poderia ser o prazo máximo para se analisar e julgar qualquer processo, qualquer crime, qualquer loucura. É preferível correr o risco de condenar um inocente ou de inocentar um bandido do que passar por esse vexame e por essa certificação de burrice coletiva e de travamento mental que representa um desses intermináveis e confusos julgamentos...


Até gostava de ouvir os discursos de Hugo Chaves. Aquelas suas frases fulminantes contra os búfalos do mundo, me faziam bem. Estas, por exemplo: "O neoliberalismo é o caminho que conduz ao inferno!" No dia do aniversário de sua mulher: "Te prepara que nesta noite vou te dar o que é teu!". "Alca, Alca... un carajo!" Ao rei da Espanha que o mandou calar a boca: "Se eu me calar, gritariam as pedras dos povos da América Latina que estão dispostos a ser livres depois de 500 anos de escravidão!"... Agora, não vou negar que no meio de seus discursos, quando começava a falar em Cristo ou em Deus e a beijar o crucifixo em público, diante da multidão desvairada... Ah.., isso me dava ânsia de vômito...

terça-feira, 5 de março de 2013

A vez de Pablo Neruda...

No mês passado desenterraram os restos de Yasser Arafat com suspeita de que sua morte teria sido precipitada por envenenamento. Agora estão fazendo o mesmo com os ossos do poeta Pablo Neruda. Na semana passada havia uma frase desse poeta rabiscada no paredão que há nos fundos da catedral... Depois de soletrá-la, o mendigo K., resmungou: nunca confiei em poetas que também foram diplomatas... Aliás, - concluiu - quê poderia fazer um diplomata a não ser engendrar poemas!? 
O curioso dessas exumações nem são elas, em si, mas a história do veneno que trazem a tona. Quem teria sido o primeiro espírito de porco a descobrir que o arsênico ou que a cicuta tinham o poder de mandar o sujeito para o inferno? Também existe, não esqueçamos, o monóxido de carbono e a peçonha das cobras... O mais famoso dos envenenados foi Sócrates, mas também se fala em Napoleão Bonaparte, em Augustus, o Papa Clemente VII, Catarina de Aragão, Hitler e mil outros. Sem falar da loucura de Jim Jones, o fanático da Guiana, que envenenou novecentos e tantos de seus seguidores, num único ritual... Para ele próprio, malandramente, ao invés do cloreto de cianeto, reservou uma única e definitiva bala...

domingo, 3 de março de 2013

Porque hoje é domingo...

Você que nunca entendia muito bem como era possível a existência de partidos políticos ou a aparição frequente desses malandrins na TV jurando que vão fazer isto e aquilo, que  todos deveriam filiar-se às suas legendas, que prezam antes de tudo a família, a criança, os velhos e a religião, que são uma espécie de sal da terra e que amam a pátria etc., agora pode desvendar esse mistério: existe uma coisa chamada FUNDO PARTIDÁRIO (Fundo Especial de Assistência Financeira aos Partidos Políticos), ao qual, só no ano de 2012, por exemplo, o Estado destinou R$: 286 milhões. 
De graça, mensalmente, sem burocracia e sem stress, aquela corriola de patifes desocupados e de inúteis que fica confinada lá nos tais comitês ou escritórios dos partidos, "militando", recebe a parte que lhe toca nesse bacanal de descaramento... 
E constituem uma verdadeira casta na disputa sem vergonha e cínica da afiliação dos párias às suas fileiras... Passam 24 horas por dia em seus "postos de serviços" falando em conchavos, campanhas, favorecimentos mútuos, artimanhas, trocas de senhas, de postos, de segredos, de cumplicidades, de candidaturas... E, para fora dos bastidores, cada um escolhe e atua um personagem: existe o clown clássico, que em república nenhuma pode faltar, mas tem também o moralista, o revolucionário, o progressista, o conservador, o casto, o católico, o espírita, o pai de família, o libertino arrombado, o milionário competente, o pobretão beneditino, o caçador de marajás, o defensor dos negros, dos indios, das mulheres, dos deficientes físicos, dos gays, dos velhos, enfim, dos direitos humanos, o defensor dos aposentados, aquele que defende a prisão perpétua e o que é propagandista da pena de morte etc. O palhaço e o sóbrio, o intelectual e o que se vangloria de nunca ter lido merda nenhuma... etc. E cada um tem sua plateia! Convenções pra cá e convenções pra lá! Banquetes! Carros blindados! Um exército de meninas de programa que os acompanham disfarçadas de "consciência política" e de executivas... Curiosa e desgraçadamente, as massas famintas, ignorantes e desesperadas precisam desse covil e dessa mentirada instituída para quase tudo em suas vidas.., e suportam tudo de joelhos e no mais absoluto e degradante silêncio, atentas apenas às migalhas que eventualmente caem das mesas ou dos cofres... 
E.., apesar de você.., que rumina desventuras nos becos e nos cortiços, esses cancros se reproduzem e prosperam à sombra desse imenso arvoredo de ladroagens e de rituais prostitutivos que é a república, com uma linguagem cada vez mais neutra e nojenta, contaminando todos os setores pretensamente saudáveis da vida com um relativismo canalha e patológico...

sexta-feira, 1 de março de 2013

O lugar mais bonito do mundo... (!?)

O recente enjaulamento dos onze ou doze torcedores do Corinthians na penitenciária boliviana de San Pedro, serviu-me, pelo menos para uma coisa: para que voltasse a reler um excelente texto de Benoît Charlemagne, titulado: O lugar mais bonito do mundo. 260 páginas onde o autor descreve a vida interior da prisão San Sebastian, em Cochabamba (não é curioso que por lá as prisões tenham nomes de santos?). Depois de já ter vivido entre os  clochards de Chicago, entre os favelados de Seine-Saint-Denis e entre os leprosos da Índia, etc., Benoît resolve internar-se voluntariamente nessa prisão boliviana na cidade de Cochabamba. A narrativa do dia-a-dia é... de fazer inveja até a Dante Alighieri...
E por falar em torcedores, seria pertinente que - diante do risco de, por estupidez, virem a apodrecer como forasteiros num cárcere andino - processassem o Estado brasileiro, suas Famílias e seus Clubes por terem permitido e até fomentado que chegassem a um estágio tão crônico de histerismo, adestramento e de alienação. O que é um torcedor? Um bobalhão e um pobre coitado!