"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

"Não há futuro, pela frente só há tempo..."


O mofo da história...


Para escalar a ladeira que leva à igreja de Santa Efigênia - orientava a camareira - é necessário mover-se como fazem os burros, isto é, em ziguezague. E completou explodindo  numa gargalhada: quem subir até lá sem ter um infarto do miocárdio e ainda por cima, conseguir ter uma ereção completa nos dois ou três dias seguintes, pode estar certo de que está livre da indústria cardiológica e também da indústria do viagra...
Por coincidência encontrei um primo do mendigo K., nas escadarias de um dos museus da cidade. Como é de praxe naquela família, estava meio taciturno, com os cabelos esganiçados e lançando mísseis para todos os lados. Dizia a uma pessoa jovem que o acompanhava que, no caso da ocupação portuguesa de Ouro Preto, os índios agiram como "resistência" (se negando a trabalhar para os invasores) e os negros, pelo contrário, como "colaboracionistas"...
Sem preocupar-se com a presença do guia, um homem formalmente analfabeto, mas ao mesmo tempo, uma verdadeira enciclopédia histórico-ambulante, foi torcendo o nariz e apontando para os objetos sacros do local, para móveis antigos, chicotes, pinturas da corte portuguesa nas paredes, balaústres, figurantes com espartilhos, bengalas com cabo de prata, oratórios usados tanto pelos larápios monarquistas daquele período como pela escória que era mantida nas senzalas... e proclamando: - É preciso livrar o passado e a história de toda essa velharia e de todo esse mofo!!! 
Fez um silêncio e continuou: Neste particular, confesso que sempre fui adepto de Marinetti: [Yo os he enseñado a odiar las bibliotecas y los museos, para prepararos a odiar la inteligencia... El arte es una necesidad de destruirse y de desparramarse, gran regadera de heroismo que inunda al mundo. Los microbios - no lo olvides - son necesarios para la salud del estómago y del intestino. También existe una especie de microbios necesarios para la vitalidad del ARTE, prolongación de la selva de nuestras venas, que se esparce fuera del cuerpo, en el infinito del espacio y del tiempo...]  
______________________________________ 

Em tempo: no final da tarde o primo do mendigo K., estava encostado numa das pontes da cidade e de braços dados com a acompanhante de aluguel que sempre leva nas viagens. Segundo ele, o custo benefício é muito mais conveniente. Ao me ver, atravessou a rua apinhada de gente e lançou na minha direção estas duas frases absolutamente fora de contexto: 1. O objetivo da vida não é a felicidade! Observe como o sujeito feliz é sempre um bestalhão... Ou vice-versa... 2. O grande erro de Marx foi ter apostado no proletariado. Se tivesse apostado na burguesia, o mundo hoje... seria outro!
 

Histórica estrada da rapina...










domingo, 23 de dezembro de 2012

Alto Paraíso & São Jorge... Misticismo barato (3)


Quando por alguma razão preciso punir-me ou expiar algum pecado mortal, planejo logo uma viagem para Pirenópolis ou para Goiás Velho. O arrependimento é sempre fulminante, imediato e certo! Agora.., quando preciso exacerbar ao máximo meus genes masoquistas, invento de vir para Alto Paraíso e São Jorge, duas aldeias cravadas aqui nas caldeiras do coração de Goiás... Se a viagem acontece em pleno verão, a linfa ferve e o martírio é mais do que certo. Desta vez vim com o pretexto de assistir às cândidas esperanças, o misticismo barato e aos rituais acrobáticos que algumas seitas prometem executar nos momentos derradeiros do fim do mundo... Terão trazido o cianureto?  Com essa gente messiânica, sabe como é.., costuma acontecer suicídios coletivos, mensagens do além y muchas otras cosas bizarras... que nenhum psicopatologista e nenhum curioso que se preze tem o direito de ignorar e de ficar hibernando em casa... Todo mundo lembra de 1995 quando 69 pirados da Ordem do Templo do Sol na Suíça e no Canadá se apagaram... E também dos outros 40 malucos da seita Heaven's gate (Porta do céu) do Rancho santa Fé, na California, que, em 1997 se imolaram durante a passagem do cometa Hale-Bopp.. etc, etc...
  Mas perdi a viagem... não veio ninguém, foi puro blefe da mídia... A turma deve ter escolhido outro lugar... Além do ritual diário dos malucos locais, nada se alterou por aqui... O calor continua infernal, não sei de quem foi a ideia de chamar isto de Alto Paraíso... melhor seria ter evocado os subterrâneos do Hades... Os efeitos dos cristais do subsolo que os místicos tanto exaltam devem interferir muito mais na nossa temperatura e nos nossos bagos de que no nosso espírito...  
Mas uma viagem sempre vale! As três horas agarrado ao volante como se pilotasse uma astronave é um tempo precioso em que brotam ideias e teorias que nunca mais se repetem... E isto é tão verdadeiro para mim que sempre que me apresentam um texto ou a obra de alguém, a primeira coisa que quero saber é se o autor dirigia pelas montanhas ou pelos desertos... Um disco voador ou uma carroça fazem o mesmo efeito... A raposa atropelada ao lado da estrada - por exemplo - com um carcará banqueteando sobre suas entranhas, é uma imagem que faz jorrar em qualquer um e em instantes, um exagero de inspirações niilistas sobre a escória da terra e outros assuntos... Até a pobre raposa, na eminência do acidente, talvez tenha lembrado das palavras de Sartre: [quanto mais sinistra é a vida, mais absurda é a morte!!!]
Lá pelas onze os pequenos botecos da vila São Jorge fecham as portas, as luzes se apagam, a solidão despenca sobre as almas, alguns paus d'água ou alguns cheira-dores de cocaína cantarolam ou choramingam em uma ou outra esquina, os cães deitam na poeira, bem no meio das ruas e a mosquitada disputa a pele insensível de nossos cotovelos... Quem consegue seguir caminhando até um pouco mais tarde pela escuridão das ruelas, quando passa perto das janelas ouve até o ronco agudo de seus moradores, indiferentes as querelas infantis dos visitantes...
Na pousada (cujo preço é o mesmo do Ibis de Londres) o silêncio é sepulcral. Entre dormido e acordado vejo um pequeno morcego tentando transpor a tela de minha janela. Mesmo com a medíocre luz que vem do quarto da frente vislumbro o brilho e as nuances de suas asas. Fico imóvel. É realmente um animal estranho. Seria uma evolução dos ratos? Interessante que o sonho de todos os seres, até mesmo das ratazanas, tenha sido sempre o de poder voar!!! O que Darwin teria escrito sobre esse bicho? Consegue sem muito esforço uma brecha entre a tela e o umbral e vem pousar sem cerimônias sobre meu braço direito. Não é grande, parece um minúsculo camundongo. Acomoda-se de maneira delicada no lugar que lhe interessa e crava os dentes em uma de minhas veias principais com uma habilidade que nenhuma enfermeira conseguiu até hoje... Não sinto nada. Causa-me uma certa repulsa apenas quando vejo seus beiços irem ficando lambuzados de sangue... Fico tentado a dizer-lhe: hoc est corpus meum et sanguis meus (este é meu corpo e este é meu sangue).... Mas permaneço em silêncio. Ficou ali não menos que três minutos. Retirou a boca da cisão, assoprou para estancar a sangria e para não acordar-me e retirou-se convicto de que a ceia dos próximos dias estaria garantida... Apesar de vampiro, ignora que já estou com um pé na estrada...

Alto Paraíso & São Jorge... Misticismo barato (2)









terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O poder inquestionável da mentira e das lágrimas...

A cada novo massacre que acontece nos EEUU, vem lá o Obama (ou qualquer outro que esteja de plantão) com a mesma choradeira de sempre jurando que vai tomar providências, acionar os sábios da república, mudar o mundo etc. etc... Vai nada! Se tivesse bagos para tal, já teria fechado Guantánamo como prometeu tantas vezes... Duvido que tenha culhões para desativar as fábricas de armas que, além de serem uma espécie de fetiche para aquele povo, são também quem mantém praticamente a economia inteira daquele país... Se a morte de crianças comovesse verdadeiramente alguém, já teriam desativado as guerras, os Mc Donald's e inclusive fechado a Coca Cola no planeta inteiro... Só demagogia... Sentimentalismo eleitoreiro... Dialética para manter as massas cumprindo horários, engordando como antas e apostando num porvir de pura ficção. E nem deu tempo para a fumaça baixar para que os jornalistas já começassem indagar aos psicólogos e aos astrólogos: quais as razões que levam um adolescente a tamanha violência? As respostas, todo mundo sabe, são sempre as mais rasteiras e as mais óbvias e engendradas sempre através do prisma da submissão e da alienação de algum oráculo...  
E por falar em desgraças, e o Haiti, que depois daquela hecatombe e de todo aquele teatro humanista ainda continua sob os escombros? Quando é que as almas bondosas do mundo vão, finalmente, recolher os detritos e as ossadas daquela gente, mexer nas ruínas e lançar algum oxigênio sobre aquela barbárie? E quando, um desses corais que cacarejam por aí terá estômago para ir até lá cantarolar uma dessas musiquinhas babacas de natal? Depois do próximo terremoto? Aguardam um tsunami? Apostam num incêndio? No bacilo de Koch ou na cólera? Nas previsões dos maias? Para que serviu a pantomima do Dalai Lama, do Papa, dos Sheiks do petróleo, das madames misericordiosas, da afetação dos diplomatas e dos chefes de estado de todas as cínicas e disfarçadas monarquias que compõem o planeta? Para nada! Eis aí a demagogia globalizada! O proselitismo facínora! As láureas fictícias! A palavra fraudada! O caráter insosso e o narcisismo vexatório da espécie...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O MERCADO CANINO...

Nestes dias de dezembro não são apenas os negócios referentes a panetones, vinhos, leitões, tâmaras e etc., que são turbinados... O mercado de cachorros também se agita, e muito. Filhotes recém desmamados já são vendidos até em cestos, como se fossem pães de ló... As gaiolas da feira estavam lotadas e de todas as raças neste domingo... Preço de uma cadelinha branca Lhasa Apso: R$: 900,00 (novecentos reais). Na bolsa de valores uma bezerra nelore, com 12 meses e com 165 quilos estava avaliada em R$: 700,00 (setecentos reais)... Encontrei até uma égua árabe por R$: 2.500,00 (dois mil e quinhentos). Claro que não se pode comparar... o preço de um cão com o de uma vaca... o cão é um luxo! Tentava convencer-me o vendedor. Os psicanalistas chamariam atenção para o valor real e o valor simbólico das coisas... enquanto os marxistas falariam em fetichismo da mercadoria e seus segredos... Já, os defensores dos animais, em safadeza mercantil e em exploração desenfreada... Parece que se está fabricando cãezinhos em chocadeiras e em série por aí! E cada dia estão mais servis e mais humanos! Cada um com as neuroses e com os vícios de seus donos... Vejam os vídeos zoo pornográficos na internet. 
Uma ninhada atrás da outra e sob rigorosa eugenia... 
Os PETS agradecem! Um saco daquelas bolotas inodoras: R$: 70,00 (setenta reais). Um vermífugo, R$:40. Um banho: R$: 30,00. Um antibiótico, mais caro que o de uso humano... Uma coleira, mais cara que um cinturão. Borracha contra mosquitos: R$: 80,00. Espanta carrapatos: R$: 48,00... Uma cirurgia então, quase o preço daquelas do A. Einstein...Vacinas, colirios, pasta dental, sapatinhos, brinquedos, motéis, perfumes, gomas de mascar, eutanásia... E já são raros os latidos... 
Quê abismo entre eles e os verdadeiros lobos da estepe!!! Mas nosso desamparo e nossa voracidade não têm limites e não nos rendemos! Precisamos de companhia! Seguimos rigorosamente os protocolos bíblicos (Genesis cap. 1,25,26) segundo os quais, o demiurgo teria colocado os animais no mundo apenas para diminuir nossa solidão, saciar nossas carências, nossas taras e nossa fome...

sábado, 15 de dezembro de 2012

A delação é mais nojenta que o próprio crime...

 As confissões (que os padres arrancam dos beatos com ameaças do "fogo eterno") que dos presos comuns ainda se continua arrancando com pauladas, socos, chutes, choques, tiros e terrorismo prisional, dos indiciados mais bem relacionados, mais bem vestidos e com contas bancárias mais rechonchudas se está começando a arrancar com a tal delação premiada, essa excrescência que, em termos de "honra" e de autoestima, é sempre bem pior que as labaredas, a cadeia e que o próprio crime... O que o delator ganha em liberdade física, perde em decência, em dignidade e em "amor próprio", principalmente porque sabe que sua delatione, além de facilitar o trabalho da polícia, serve apenas para defender a onipotência do estado, com seus agiotas e com seus cães farejadores, e mais: para eternizar a tirania dessa abstração infernal que tanto para Hobbes como para Nietzsche, sempre foi e sempre será um monstro. 

E é bom que os juízes e os teóricos desse perdão judicial e dessa extorsão premiada saibam: o que realmente poderia interessar à espécie e a qualquer um, algo que realmente viesse amenizar a loucura e o absurdo desta imensa penitenciária que é o mundo, não é, em hipótese nenhuma, confessável e nem delatável... 

 

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Hieróglifos rabiscados nas estrelas...

Nos anos estupendos que vivi na Cidade do México, o programa anual para o período de vacaciones de la UNAM era descer para a região de Yucatan, Chiapas, Palenque, Isla Mujeres... território que até o século XIII pertencia e era habitado pelos maias. Foi do amontoado de pedras e das poucas ruínas de pirâmides que sobraram por lá que os místicos, os esotéricos e até alguns dementes paleontólogos farejaram o hieróglifo que profetizava o fim do mundo... Segundo o instinto sinistro daqueles nativos e dos farejadores, o dia derradeiro desta abóbora em movimento estaria reservado para 21/12/2012... (A semana que vem!!!). Acreditavam, ou pretendiam fazer as classes inferiores daquela proto-sociedade acreditar que, nessa data, haverá um desbunde cósmico, um engarrafamento de galáxias e um descarrilamento de astros que despedaçará por completo nossas venezianas, nossas antenas de tv, nossos abacateiros, nossos barracos e, claro: nossos esqueletos... Esse planetinha de bosta – segundo os xamãs maias - no dia 21 de dezembro de 2012, saltará aos pedaços de um lado a outro do espaço sideral como bolotas de ping-pong com as águas salobras de todos os mares e de todos os esgotos inundando os destroços e salgando uma por uma as vaidades e as estultícias humanas. etc., etc... Nada muito diferente do que dizem por aí os cristãos de todas as laias, mas principalmente os dos últimos dias...
Mesmo sem cheirar e sem fumar, muita gente acredita! Há quem já recebeu até a extrema-unção! Outros até já doaram todos os seus bens aos pastores! Até
os condenados do Mensalão acreditam que irão livrar-se das grades! etc. No dia 19 e 20 – prestem atenção - haverá caravanas de insensatos indo para as montanhas do interior de Goiás com um saco de arroz integral, umas bardanas e umas ameixas humeboshi na mochila... Parece mentira, mas toda essa burrice flutuante existe. Aliás, de uma cultura que tem como livro de cabeceira o Apocalipse, o que mais se poderia esperar?
Os maias - coitados - apesar de seu panteísmo, apesar de todas as mistificações que os eruditos e os poetas construíram a seu respeito, apesar de seu calendário artesanal e de seus cruéis sacrifícios de crianças na Acrópole de Comalcalco, não conseguiram prever nem mesmo a seca que, lá pelo século XIII, iria cuspi-los quase que definitivamente para fora do planeta...



Santana...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Cansou do Bolero de Ravel? Vá para as chatices do defunto Ravi Shankar...

Para quem sempre viu o Estado como a mais irresponsável e a mais grave das perversões civilizatórias, assistir a guerra que vem sendo travada entre nosso simulacro de “esquerda" e nosso simulacro de “direita" está sendo um verdadeiro show... Golpes pra cá e golpes pra lá! Corrupção pra cá e corrupção pra lá! Mentiras! Mau caráter! A desonra por detrás das pupilas... A metade da mídia militando por um bando, a outra metade para o outro bando... Uns sobrevivendo da publicidade estatal, outros da publicidade empresarial... A metade da trupe católica apoiando uma ala, a outra metade apoiando a outra ala, da mesmíssima maneira que fizeram durante as décadas da ditadura militar, quando uns padres confessavam os assassinos enquanto os outros consolavam as viúvas... Advogados bandidos que defendem uma banda, bandidos advogados que defendem a outra banda... Um bloco dos evangélicos atiça os fiéis contra os governantes de turno, enquanto outro lhes dedica rezas e com eles divide o dízimo, o altar e o trono. Oxalá um dos bandos valesse alguma coisa!!! Megeras nas sombras de cá e megeras nas sombras de lá... Uns banqueiros mantém com dinheiro sujo o Instituto X, outros banqueiros pagam, com dinheiro tão sujo quanto, as despesas do Instituto Y... Uma turma apoia Israel, outra turma apoia a palestina...  e tudo feito como se, na realidade, se buscasse uma ética ou um lugar ideal (além do poder e dos cofres públicos) para se aportar... e como se as indecências, putarias e canalhices de hoje não estivessem enraizadas e cristalizadas historicamente até nas entranhas mais profundas deste rincón sulamericano... e como se os crápulas de ontem não tivessem deixado também a marca de suas garras por onde passaram... Se rastreássemos a vida, e principalmente os bolsos dos ex-governantes dos últimos cem anos, bem como de seus respectivos familiares e lacaios, ficaríamos abismados e estarrecidos com tanta rapinagem e com tamanha bandidagem... E o mais cômico, é que quando os papagaios da mídia se referem a “bairro nobre” ou a “classe alta” é sempre a essa buona gente que estão se referindo... 
Mas esse é um papo neurótico de classe média intelectualóide, não é verdade? O populacho, depois de séculos de indigência e de chicote, nem toma conhecimento dessa história... está barrigudinho e feliz da vida com sua geladeira repleta de porcarias e com seus três celulares, um da Tim, um da Oí, e outro da Vivo... Com o décimo terceiro salário já programou adquirir também um da Claro... 
-------------------------------------------------------------------------
Obs: Enquanto isso... para quem já enjoou do Bolero de Ravel, que tal ouvir as chatices do defunto Ravi Shankar!?


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Inventário de bactérias...

A negligência do "estado" para com aquilo que se refere à nutrição e à saúde pública, à higiene, às condições sanitárias dos botecos, cafés, restaurantes, casas de chá, churrascarias, pizzarias e etc., está tão grave e crônica aqui pela capital da república, que é quase impossível tomar um suco de laranja por aí sem ingerir, por tabela, uma família de coliformes fecais ou até de trichomonas vaginalis... E, o mais estranho, é que nem a clientela e nem os "gestores" parecem estar minimamente preocupados com essa nojeira. Seremos tão porcos assim na nossa essência?

domingo, 9 de dezembro de 2012

Ho... ho... ho.... ho.... ou: Oh...oh...oh....oh....

A bobagem do papai-noel (nesse deserto de falsidades), ao invés de desaparecer do mapa, vem se tornando uma pantomima cada vez mais ridícula e misteriosa, tanto para os dissimulados figurantes com suas barbas artificiais, como para as mamães infantilizadas e para as próprias crianças... Neste ano, por exemplo, vários shoppings pelo país afora procuram evitar ou mesmo interditar a possibilidade do papai-noel colocar as crianças no colo... Olha a paranóia!!! Mas como? Não era tudo o que a criança sonhava? Qual é o problema? Como até entre os adultos a verdadeira “suspeita” fica nas entrelinhas, será difícil explicar para a pobre criança - depois da série de expectativas e de mentiras que ela ouviu em casa e ao longo do ano sobre as peripécias, a bondade e o saco do gorducho velhinho -  que ali sob aquelas ceroulas vermelhas pode haver algum tipo de perigo... Por outro lado, ao sujeito que está lá travestido sob aquelas roupas ridículas para ganhar a macarronada do dia, tenha a idade que tiver, também não deve ser fácil estar sendo tratado como potencialmente perverso e pedófilo...
Por mais que todo mundo ande por aí, sob os batentes roídos pelo tempo, fazendo o teatro da libertinagem e do desprendimento, sobre sexo e dinheiro vivemos a mesma escassez e a mesma vertigem de outrora, não se evoluiu absolutamente nada nos últimos milênios... Continuamos reprimidos e agiotas como nos tempos em que se amarrava guapecas com linguiça... Epa!!! Olha a linguiça aí de novo!!! Ho...ho...ho...ho....

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

"Quê merda é essa???" O.N. (1)

Como deve ser viver 105 anos? Ver a monotonia da mesma peça, as lonas apodrecidas do mesmo circo por cento e cinco vezes, as grades sombrias do mesmo confinamento e ainda assim seguir insistindo que se ama a vida e que se adora as delícias da prisão? Como é possível contemporizar e ver de perto a mentirada e a hipocrisia de oito ou dez gerações e, assim mesmo, manter a vontade e a teimosia de seguir fazendo parte dessa furibunda encenação diária? Como é possível ser ateu e dedicar-se à construção de templos? Ser arquiteto e conviver com o mau gosto endêmico e, pior, saber que 90% dos "camaradas" vivem em condições abomináveis? Como é morrer, estar impotente dentro de um caixote e “ver” três ou quatro padres recitando bobagens sobre o próprio cadáver? Como é possível ser comunista depois de ter assistido quixotescamente ao fiasco político ao redor do planeta? E mais, ser velado ao lado do Congresso Nacional onde se refugiam seiscentos ou setecentos parlamentares (fichas sujas) há décadas e que fizeram daquela casa um antro de negócios espúrios, de cinismo, de máfias? Não, a longevidade não é uma benção, como dizem alguns bobocas por aí!, não é um privilégio!, não é o resultado de algum tesão especial ou de alguma sabedoria... é mais bem uma punição, um castigo, uma cilada para com os sujeitos dessa volátil, vagabunda e mesquinha espécie...

[... basta ver as pessoas desfilando diante dos heróis, em dias de festa, para que se entenda sua carência. Girando feito cachorro ensinado diante de pensadores. De ministros. Girando feito cachorros ensinados diante de seus Mortos. E chamam essas trapaças de comunhão e vida...] Paul Nizan

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

As nódoas da moral corrompem tudo...

Sempre que venho a São Paulo, sou doentiamente atraído para a Sé, aqui em frente à catedral de mesmo nome, para o meio dessas palmeiras "imperiais" onde, há décadas, se pode desfrutar de todas as loucuras de uma verdadeira e genuina Praça dos Milagres. Os mendigos e os pedintes de Bruegel e de Bosch, aqueles que se apinhavam ao redor da Salpetrière, não eram nada comparados com os daqui... Inclusive a fúria das pulgas que vão se introduzindo na barra de nossas calças ou nas dobras de nossas meias também parecem ter uma voracidade incomum e, de tão antigas, trazem vestígios não apenas do governo de Laudo Natel, Maluf, Montoro, Quércia, Covas, Serra, Alckmin e etc, mas de Martin Afonso  de Souza e de Prudente de Morais...... com seus respectivos feudos... Aos pedaços e aos frangalhos, esses seres sem história e sem chances de vir a ter sequer um mausoléu, são, entre eles próprios, verdadeiros mestres na arte do cinismo e do bullying... 
De vez em quando entram na igreja dançando de braços levantados e cambaleando... Vão até o altar, dizem alguma blasfêmia contra uma daquelas imagens e voltam pelo corredor central, sob os olhares de cólera dos coroinhas. Uma mulher jovem acaba de entrar descalça, com uma saia rasgada no traseiro e a parte posterior dos pés marcadas por arremedo de tatuagens. Foi entrando e dançando uma dança parecida àquela dos sufis turcos, girando com os braços erguidos, a cabeça inclinada, ora para um lado ora para outro... até chegar diante do altar onde jogou-se no piso e lá ficou, como morta, por uns longos momentos... Outro desses seres de outro mundo fazia, para espanto de todos os beatos que entravam e saiam daquele templo (neogótico!?), uma espécie de performance profana logo na entrada, diante da imensa e imóvel estátua branca de cristo... 
E lá fora, sobre as raízes de cada uma daquelas palmeiras sempre há alguém em posição catatônica, ou dormindo, ou rindo em suas dementes alucinações. Sacos, bengalas, garrafas, chinelos, litros de água, vidrinhos vazios de remédios, farrapos... Apoiada na mureta de pedras está uma mulher já velha, com uma barriga de grávida, segurando com a mão esquerda, quase só de ossos, um guarda chuva vermelho... Nas escadarias uma negra faz um discurso, briga, por questões de gênero, com uma plateia imaginária. Um pregador esbravejante aponta a bíblia e o dedo para aquela marginalia irrecuperável, disfarçando o horror que sente só em imaginar a hipótese de ter que vir a dividir o reino dos céus com aqueles desgraçados... Um homem sem os membros inferiores passa enfiado num carrinho feito em casa, com os pedaços de coxas ocultos sob um cobertor infecto e, um pouco mais abaixo, um outro sujeito com ar de liberdade condicional assiste a tudo encostado no bloco de granito onde foi chumbada a estátua do velho padre Anchieta. Olha para os lados, meio paranóide, como um lobo faminto e como se aguardasse apenas o momento de voltar para junto de seu carcereiro... Talvez, para passar o tempo, esteja ruminando esta outra frase de Paul Nizan: As nódoas da moral corrompem tudo...

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

EU NÃO QUERO SER UNÂNIME...


Este final de semana foi bombástico! Nada é mais desolador de que um hospital às 18:30 de uma sexta-feira, mesmo quando se trata do Hospital das Clinicas de SP. O taxista que deveria levar-me até o Instituto de Psiquiatria deixou-me em frente ao Cemitério do Araçá. Quê vizinhança estranha, sugestiva e macabra a dessas duas "instituições"... Fui ziguezagueando por entre clínicas das mais estapafúrdias especialidades, desci por escadas e um elevador com duas macas vazias, atravessei dois estacionamentos, cruzei com homens e mulheres de branco, mudos e descompassados sob o peso imbatível da solidão clínica e quando cheguei ao meu destino a frase: Atualizações em psicopatologia já estava projetada na parede. Rever! Rever! Rever! No mundo do esoterismo e da psicopatologia é necessário passar a vida inteira revendo... Nada poderia ser mais silencioso do que aquele ambiente, naquele momento, apesar de estarem internados ali mais de uma centena de pacientes... Quê deveriam estar fazendo, naquela hora, em suas celas?
Uma metrópole com quase vinte milhões de habitantes está sempre cheia de novidades, bizarrices, crimes, guerras entre mafiosos, desonras... Além das aventuras da ilustre senhora do escritório da Presidência da República, da entrevista que o monsieur Fux deu à Folha e do papo bem octogenário do FHC publicado em outro jornal, também houve uma série de homicídios lá na periferia brasiliense que foi de tirar o fôlego e até mesmo o chapéu...
Anotem: um sujeito foi assassinado em Santa Maria; no Recanto das Emas um outro levou vários tiros na cabeça; na Favela da Estrutural o morto levou várias facadas. No Jardim Ingá, um sujeito de 20 anos foi assassinado na porta de casa; um outro, também com menos de trinta anos morreu apedrejado; na Vila Buritis um cara foi morto a bala e no famoso Paranoá, na frente de um boteco, um sujeito foi crivado de balas. Quer mais? Em Águas Lindas (que só tem horrores e insalubridade) aconteceu um tiroteio que resultou em dois cadáveres e quatro baleados... Isto, sem contar os corpos que só vão aparecer daqui a uns meses, quando os cachorros já tenham banqueteado o que lhes interessa... 
E você aí, seu cretino, com uma cruz de palmo e meio no pescoço enchendo o freezer com peito de peru e com pernil de suínos!!!???
Nem o otimista mais empedernido consegue vislumbrar algum vestígio de transcendência... Como escreveu P. Nizan: "É terrível ser uma bússola enlouquecida pela tempestade ou uma aurora boreal vagando pelos pontos cardeais em uma escuridão atravessada por repiques, fogos, gritos, onde a loucura faz a festa e mostra pelo canto das ruas sua face jovial"...

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Psicologia de massas e analfabetismo...

Por coincidência, o circo da passeata de ontem no Rio de Janeiro (que reuniu malandros de todos os naipes) para pressionar o veto do projeto de lei que transfere parte dos royalties do petróleo a Estados e municípios não produtores, aconteceu exatamente no dia em que foi publicado o resultado da pesquisa (Ranking Pearson-EIU) que mede a qualidade dos sistemas educacionais pelo mundo. Entre quarenta países pesquisados, o Brasil ocupou o 39 lugar. Só ganhou da Indonésia. Que tal? E ainda existem mentirosos e farsantes de plantão que seguem por aí cacarejando que somos a quinta ou sexta (sei lá!) maravilha do mundo!!! Que somos a bola da vez!!! Ou que, como escreveu Stefan Zweig, antes de digerir sua cápsula de cianureto: o país do futuro!!! Balelas! Só faltou a esse nobre futurólogo explicar em que milênio do calendário judaico esse futuro estava situado... 
Se a presidente Dilma, a quem cabe vetar ou sancionar o tal projeto, tiver dúvidas da necessidade de deslocar parte desse dinheiro de Ipanema para outras regiões do país, basta dar uma volta aqui pela periferia do DF, pelas cidadezinhas medievas de Goiás, sobrevoar o interior do Maranhão, ler alguma coisa sobre a Idade da Pedra em que vivem milhões e milhões de brasileiros fodidos e mal pagos por todos os estados e municípios desse inferno tropical sem esgotos e sem água potável...
Mas voltando a falar sobre a passeata, (ou sobre a psicologia de massas) é curioso e melancólico ver como é fácil arrastar para as ruas cem, duzentas, quinhentas, setecentas mil pessoas, basta que se decrete feriado, que haja cachaça, uma cruz, um trio elétrico, bundas e apalpações... Ideologia que é bom... só mesmo entre o pessoal do PCC e outros correlatos... O que será que realmente anseiam esses rebanhos, recrutados do dia para a noite em troca de favores metafísicos ou de migalhas sociais? Resposta: precisam sentir que possuem um chefe, um chefete qualquer, mesmo que não tenha legitimidade, eleito ou não (é a mesma coisa), mas que defenda temporariamente seus instintos conservadores e sua devoção fetichista às regras vigentes do jogo, por mais esdrúxulas e imorais que elas sejam...   

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

O tempo e a longevidade emporcalham e conspurcam...

Como faz todos os sábados à tarde, o mendigo K. esteve neste final de semana lá no Museu da República visitando uma exposição de fotos, pôsteres, produtos e documentários sobre Cuba. Ficou indignado quando, ao final de um vídeo de uns vinte minutos apareceu o crédito da Odebrecht como apoiadora. A Odebrecht apoiando um evento cultural cubano!, ficou resmungando para si mesmo e meio de boca aberta por longo tempo... Sem dar muita importância ao fato, esperei a repetição do filme e, realmente, entre os créditos, estava lá o nome dessa empresa que nos anos oitenta representava a encarnação máxima do imperialismo e do demônio... 
Quando se acalmou pronunciou esta pergunta aparentemente sem sentido: onde está o eixo apodrecido desta Roda da Fortuna? Em seguida contou-me que horas antes havia presenciado algo sub-humano numa parada de ônibus: um velho, já bem velho, chegou trôpego, apoiado num cabo de vassoura e sentou-se num pedaço de concreto que havia no local, ficando ali por uns três ou quatro minutos respirando com dificuldade e gemendo no mais radical dos estoicismos, até que, não resistindo, foi lentamente tombando para o lado e despencando quase dentro de uma poça de água... Duas moças que chegaram naquele momento comentaram entre elas que devia tratar-se de um bêbado quase "cantando para subir". Movido por um impulso de natureza indefinida, retruquei: não, ele não está bêbado, o vi chegando... Ao que o ancião, num esforço brutal sentou-se e bradou na minha direção:  - Bêbado está você, seu filho da puta!.., para em seguida recitar duas ou três estrofes sobre inúmeras de suas doenças e exibir a mim e às moças, os dois testículos que, de tão inchados, pareciam dois maracujás...

domingo, 25 de novembro de 2012

Breviário dominical...


Parece que estão querendo desenterrar o velho Yasser Arafat! Quê estranha atração por ossadas a dessa gente... Alguém o teria envenenado... Sim, mas e nós, que comemos pimentões, tomates, cenouras e cebolas diariamente, não estamos indo para o mesmo caminho!? Para o mesmo beleléu e para o mesmo buraco!? Sem ironia, a frase filosófica daquele homem, esteticamente fora dos padrões, que mais me impactou foi esta: "Por maior que seja o buraco em que você se encontra, pense que, por enquanto, ainda não há terra em cima". 
  
Não são apenas os lucros aberrantes dos bancos, das agências de automóveis e das máfias telefônicas que nos lembram diariamente o sucesso absoluto do instinto capitalista... Aquele sujeito esfarrapado e aos pedaços que cobra UM REAL aos colegas do crack para ensinar-lhes como fabricar um mísero cachimbo é o exemplo mais escandaloso e convincente do poder doentio e nato dessa ideologia... 

Se você está interessado e preparado para ler o livreto mais terrível que se escreveu na última década, leia, do aposentado Philip Roth: O animal agonizante... Vejam o que diz nas páginas 89/90: "Quando dois cachorros trepam, parece haver pureza. Eis ali, pensamos, uma foda pura, entre animais. Mas, se pudéssemos conversar com eles, provavelmente iríamos acabar constatando que até mesmo entre os cães existem, em forma canina, essas distorções malucas do anseio, do enrabichamento, da possessividade, até mesmo do amor..."

Todo mundo está apavorado, encolerizado e desesperado com as sucessivas aberrações promovidas pela "esquerda" no poder... Nós não! Sempre apostamos secretamente nesses cabras, exatamente porque víamos que ali estava a única chance de, finalmente, alguém desmontar e pisotear completa e radicalmente todas as ilusões e todas as esperanças que se veio ingenuamente depositando na espécie, no Estado e na República...

   

Breviário dominical...


Parece que estão querendo desenterrar o velho Yasser Arafat! Quê estranha atração por ossadas a dessa gente... Alguém o teria envenenado... Sim, mas e nós, que comemos pimentões, tomates, cenouras e cebolas diariamente, não estamos indo para o mesmo caminho!? Para o mesmo beleléu e para o mesmo buraco!? Sem ironia, a frase filosófica daquele homem, esteticamente fora dos padrões, que mais me impactou foi esta: "Por maior que seja o buraco em que você se encontra, pense que, por enquanto, ainda não há terra em cima". 
  
Não são apenas os lucros aberrantes dos bancos, das agências de automóveis e das máfias telefônicas que nos lembram diariamente o sucesso absoluto do instinto capitalista... Aquele sujeito esfarrapado e aos pedaços que cobra UM REAL aos colegas do crack para ensinar-lhes como fabricar um mísero cachimbo é o exemplo mais escandaloso e convincente do poder doentio e nato dessa ideologia... 

Se você está interessado e preparado para ler o livreto mais terrível que se escreveu na última década, leia, do aposentado Philip Roth: O animal agonizante... Vejam o que diz nas páginas 89/90: "Quando dois cachorros trepam, parece haver pureza. Eis ali, pensamos, uma foda pura, entre animais. Mas, se pudéssemos conversar com eles, provavelmente iríamos acabar constatando que até mesmo entre os cães existem, em forma canina, essas distorções malucas do anseio, do enrabichamento, da possessividade, até mesmo do amor..."

Todo mundo está apavorado, encolerizado e desesperado com as sucessivas aberrações promovidas pela "esquerda" no poder... Nós não! Sempre apostamos secretamente nesses cabras, exatamente porque víamos que ali estava a única chance de, finalmente, alguém desmontar e pisotear completa e radicalmente todas as ilusões e todas as esperanças que se veio ingenuamente depositando na espécie, no Estado e na República...